sexta-feira, 17 de maio de 2013

Estudando com concentração

   As condições físicas, psicológicas, emocionais e ambientais, são fatores que influenciam muito a qualidade e a intensidade da concentração.
   Um fator que favorece a dispersão é o cansaço mental. Depois de um determinado período de concentração, o cérebro necessitará diminuir o ritmo de suas atividades (descansar) para poder recompor suas energias.
   Assim como quando corremos muito, nossas pernas se cansam e diminui a capacidade de correr, quando nos concentramos demasiadamente, nosso cérebro também se cansa, resultando na diminuição da capacidade de concentração.
   Cada pessoa tem o seu próprio ritmo e limite, por isso quando sentir que a mente está muito cansada, é aconselhável descansar. Insistir no estudo com a mente exausta faz com que a capacidade de aprender seja reduzida tanto na qualidade como na quantidade, e o rendimento desse tempo de estudo se torne bem abaixo de sua capacidade. Portanto é muito mais produtivo estudar 1 hora com a mente descansada do que estudar 3 horas com a mente exausta.
   Qualquer emoção mais forte, tanto positiva quanto negativa, tende a sabotar o controle do direcionamento da nossa atenção.
   Os quatro sentimentos mais comuns que costumam atrapalhar nossa concentração são: a preocupação, a raiva, a alegria e a tristeza. 

 
    A preocupação é prejudicial quando se torna obsessiva, sem necessidade e começa a intrometer-se na tentativa de dirigir a atenção para outras atividades. Ao sentir-se preocupado, pense se é uma preocupação necessária, útil e solucionável. Caso possa solucionar o problema antes de estudar, solucione! Se não houver solução imediata, anote o que precisa ser resolvido e concentre-se no estudo.
    Ao sentir raiva, o cérebro tem duas reações: a primeira gera um rápido surto de energia que prepara o corpo para lutar ou fugir. A segunda reação prepara o cérebro emocional para um estado de prontidão que pode durar horas, e dependendo da raiva, até dias. Sendo assim, quando estiveres com raiva, tente enxergar o que a originou e extraia os pontos positivos do acontecimento. Fixando os pensamentos somente na raiva, não amenizará sua intensidade.
  A tristeza tira o nosso interesse por diversões e prazeres, prende a atenção na perda ou na dor e tira nossa vontade de iniciar novas atividades. Uma dica para quando se sentir assim, é pensar que: como não possuo meios para alterar esse sentimento, se eu estudar pelo menos estarei utilizando esse momento de dor para me desenvolver, dessa forma provavelmente me sentirei melhor no futuro.
    Na alegria, o coração bate mais depressa, a energia liberada pelo cérebro exalta tanto o corpo como a mente, e sentimos uma imensa sensação de prazer, podendo desviar a concentração. Como é muito bom estarmos com esse sentimento, quando for estudar o ideal é tentar amenizá-lo até um ponto que não atrapalhe o foco de atenção no estudo.
   Então, foco nos estudos e bom trabalho. Grande abraço!

 
 Tocando com Concentração e Emoção (Marcia Kazue Kodama)

Nenhum comentário: